category: 37
category: 68
category: 84
Ângela Dip estreia amanhã uma sátira sobre o universo feminino - Site do bairro do Fonseca

Ângela Dip estreia amanhã uma sátira sobre o universo feminino

Ângela Dip terá a oportunidade de apresentar à La Putanesca ao público de Niterói Foto: Divulgação / Roberto Chahim
Ângela Dip estreia amanhã uma sátira sobre o universo feminino

Em cena, a atriz, que também é responsável pelo texto, faz reflexões rasteiras e bem-humoradas sobre beleza, moda e variados comportamentos sexuais

Falar de comida e sexo aparentemente pode não ter muita conexão, mas pelas mãos de Ângela Dip, não só tem como virou uma peça bem-humorada e que vem arrancando aplausos por onde passa.

Dessa vez, quem terá a oportunidade de assistir à La Putanesca é o público de Niterói. Mas é preciso ficar ligado, pois a temporada é curta, apenas nesta sexta, sábado e domingo, no Espaço Cultural AMF/Unimed.

Em cena, a atriz, que também é responsável pelo texto, faz reflexões rasteiras e bem-humoradas sobre beleza, moda e variados comportamentos sexuais.

“Em um stand up é inevitável que você exerça essas duas funções, pois na maioria das vezes você conta as histórias que escreveu. É uma delícia ver as pessoas se divertirem com os casos que conto no palco. O melhor é ver as pessoas se identificando na plateia. Isso é um barato”, comenta a atriz.

As histórias e observações partem do ponto de vista de uma mulher irônica e por vezes ácida. Questões do cotidiano feminino como casamento, cirurgias estéticas e menopausa são expostas de maneira divertida e por vezes inusitada.

“O humor, de uma maneira geral, é a observação dos acontecimentos diários. Eu simplesmente reuni várias histórias minhas, de amigos; histórias que ouço na rua e amarrei tudo isso”, disse, comentando ainda que, apesar de ser permeada pelo humor, há nas entrelinhas do texto da peça uma missão de fazer o público refletir.

“O teatro, quando é feito com verdade, sempre te faz refletir. Nem que seja para você rir de você mesmo”, filosofa.

Mesmo sendo tratada como um stand up, estilo em que o humorista encara personagens sem elementos cênicos, a peça foge um pouco dessa característica. Justamente porque traz Dip montada em um figurino que não tem cara de dia a dia.

“Eu costumo brincar que essa peça é um banquinho e um violão. Sou eu, sentada em um banco e com um microfone na mão. A comédia sempre esteve presente na minha vida de uma forma ou de outra. Com essa peça eu mergulhei a fundo no gênero”, revela.

O título da peça é um trocadilho com o famoso molho italiano “Alla Putanesca”. Reza a lenda que o molho foi inventado às pressas pelas prostitutas de um bordel em Nápoles ao receberem um bando de marinheiros. Elas então reuniram várias sobras de condimentos e alimentos dando origem ao molho.

“Como a ideia do meu stand up era fazer uma brincadeira com sexo e comida, achei muito apropriado brincar com o molho”, disse.

A artista também comenta o tabu que ainda existe quando uma mulher resolve fazer humor, principalmente um humor ácido, recheado de palavrões.

“Não diria que sofre preconceito, mas o público ainda não está tão habituado a ver mulher contando piada ou falando palavrão. Isso, de certa forma, ainda assusta as pessoas. Mas sempre sou muito bem recebida pelo público e pelos colegas de profissão”, conta a atriz.

E por falar em público, Ângela Dip está ansiosa para encontrar o de Niterói nessa curta temporada.

“O público fluminense é sempre muito participativo e entregue. Eu adoro fazer essa peça. Fiz um final de semana no Rio e foi uma grande festa. Espero que seja novamente”, afirmou.

Além de La Putanesca, a atriz tem viajado para vários lugares com a peça O Barril, que está em cartaz há dez anos.
Ângela ficou bastante conhecida pela personagem Penélope do Castelo Ra Tim Bum. E esse papel até hoje é lembrado com carinho pela atriz.

“Foi um momento muito especial na minha vida e para todos os atores que participaram daquele projeto. É muito legal ver aquele público que era criança e assistia ao Castelo e que hoje vai ao teatro para me ver num espetáculo para maiores de 16 anos. Apesar de que isso me faz lembrar que o tempo está passando…”, brinca.

Biografia – Atriz, bailarina, escritora e diretora, Ângela Dip, nascida em São Borja, Rio Grande do Sul, em dez de dezembro de 1961, iniciou a carreira artística na cidade de Porto Alegre. Atuou nos espetáculos Umbigo, direção de Sergio Sálvia Coelho, Hotel Lancaster, direção de Marcos Loureiro; Escândalo, direção de Eliana Fonseca; Acordes Celestinos, direção de José Rubens Chachá; O Grande Dia, direção de Marco Antonio Braz; O Mambembe, direção de Gabriel Villela; As Guerreiras do Amor, direção de Celso Frateschi; Controle Remoto, direção de Elias Andreato; Kean, direção de Aderbal Freire Filho; Uma Coisa Muito Louca, direção de Henrique Dias; Ubu, Folias Físicas e Patafísicas, direção de Cacá Rosset, Zerói direção de Hugo Possolo; e Terça Insana, direção de Grace Gianoukas, entre outros.

Na TV, Ângela Dip participou de programas e novelas como Retrato Falado, Sob Nova Direção, Ilha Ra Tim Bum, Castelo Ra Tim Bum e Ra Tim Bum); Pérola Negra e Estrela de Fogo, entre outros.

Em cinema, Ângela Dip atuou nos filmes Eliana e o Segredo dos Golfinhos; Castelo Ra Tim Bum,  Por Trás do Pano, Terremoto; Efeito Ilha; Romance; Lua Cheia, entre outros. Ângela Dip escreveu e dirigiu espetáculos como Loira Incendiária, O Homem Rato, Sex Shop, Recém Separados e o infantil A Guerra dos Mutans, entre outros.

Serviço: O Espaço Cultural AMF Unimed fica na Avenida Roberto Silveira, 123, Icaraí. Temporada: 23, 24 e 25 de setembro. Horário: Sexta e sábado às 21h e domingo às 20h. Preço: R$ 40. Informações: 2710-1348.

 

 

Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br