category: 86
category: 37
category: 67
category: 84
Violência fecha escolas em Niterói - Site do bairro do Fonseca

Violência fecha escolas em Niterói

21.05.escola-ingC3A1.jC3BAlio-silva
Violência fecha escolas em Niterói

No Colégio Estadual Aurelino Leal, alunos foram mandados para casa por volta das 9 horas

Cerca de 1,4 mil alunos do Colégio Estadual Aurelino Leal, na esquina das ruas Presidente Pedreira e Visconde de Morais, no Ingá, Zona Sul de Niterói, foram prejudicados ontem por terem as aulas suspensas, depois de novas ameaças

de tiroteios entre grupos rivais de traficantes de drogas no Morro do Palácio, vizinho à unidade de ensino. Duas facções criminosas disputam o controle do tráfico local e tiroteios constantes no interior da comunidade estão ocorrendo desde a madrugada de segunda-feira (18). Apesar das ameaças de novos confrontos, o comércio, ao contrário da escola, optou por não fechar as portas. No Barreto, Zona Norte da cidade, a violência também deixou estudantes sem aula. Cerca de 700 alunos da Escola Municipal Mestra Fininha também foram mandados de volta para casa após a instituição ter sofrido um furto na madrugada. No Ingá, a Polícia Militar afirma que o patrulhamento está sendo realizado em toda extensão do bairro desde a manhã de segunda, o que não impediu que traficantes voltassem a se confrontar na tarde de terça-feira (19), causando pânico no bairro. Ontem, apesar do clima de medo, não houve registro de confrontos. “Mas acredito que deva acontecer um novo tiroteio entre esses bandidos a qualquer momento. Infelizmente estamos reféns desses bandidos”, desabafou uma estudante do Aurelino Leal que teve que voltar para casa. Apesar do fechamento da unidade estadual de ensino, as aulas na Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF) foram ministradas normalmente. “Até agora não recebemos nenhuma informação de que nossas aulas seriam suspensas. Está tudo normal aqui na UFF. Ao contrário do barulho de tiros que ouvimos ontem, não houve nenhuma troca de tiros hoje no morro. Continuamos na nossa rotina normal”, disse uma aluna da UFF. De acordo com moradores do bairro, por volta das 9h30, estudantes do Aurelino Leal já eram vistos deixando o colégio e retornando para suas casas. “Essa rua nunca foi tão movimentada nessa horário. Normalmente as crianças ficam dentro da escola. Os ônibus estavam saindo lotados aqui do bairro e a movimentação na subida do morro era grande. Infelizmente fica nossa indignação. Não temos mais paz”, desabafou uma universitária de 22 anos, moradora do Ingá. A direção da unidade de ensino foi procurada, mas não comentou sobre o caso. Em nota a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) ressaltou que a direção do colégio tem total autonomia para tomar decisões que garantam a integridade de todos da unidade. “A Seeduc informa que, na manhã desta quarta-feira (20), o Colégio Estadual Aurelino Leal, localizado em Niterói, suspendeu suas atividades. No total, a unidade atende, aproximadamente, a 1,4 mil alunos. A Seeduc ressalta que a direção da escola tem autonomia para tomar providências no sentido de garantir a integridade física e moral de seus alunos, professores e funcionários. Os conteúdos das aulas perdidas serão repostos”, informou a secretaria através de nota.

Criminosos furtam aparelhos eletrônicos durante a madrugada Na Escola Mestra Fininha, no Barreto, a violência também deixou estudantes sem aula. Segundo funcionários e pais de alunos, bandidos invadiram o espaço ainda na madrugada e arrombaram as portas da escola. Aparelhos eletrônicos foram furtados. Agentes da 78ª DP (Fonseca), onde o caso foi registrado, disseram que os invasores fugiram do local levando microfones e caixas de som que estavam em uma sala de aula. As imagens das câmeras de segurança da região devem ser requisitadas para ajudar nas investigações.   A direção da escola não comentou sobre o furto. Segundo a assessoria da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Semect), o valor do prejuízo ainda não havia sido contabilizado. Ainda ontem, peritos da polícia estiveram no local. Funcionários do Departamento de Obras da Fundação Municipal de Educação também estiveram na escola realizando os reparos nas fechaduras arrombadas. Hoje as aulas serão retomadas, informou a Semect.

Fonte: http://www.ofluminense.com.br